terça-feira, julho 17, 2018

Divãneando


Quando eu era criança meu sonho era "ser mocinha". Mas o que exatamente isso significava? 
Ser mocinha era praticamente a perfeição. Uma mocinha sentava sempre de pernas cruzadas, andava bem arrumada mesmo dentro de casa (inclusive de sapatos), comia com moderação, escrevia com letra bonita e tinha sempre tudo muito bem organizado, passava hidratante após o banho e outras coisas do tipo. E eu acreditava que ser mocinha era ser gente grande. Assim, eu atingiria essa perfeição tão almejada quando finalmente eu crescesse. 
Como uma amiga minha me falou hoje ao ouvir essa minha história, desde criança que meu passatempo é me cobrar. É verdade... 
Fico me perguntando quando foi que tudo começou... fazendo uma retrospectiva, a resposta me parece bem clara: foi quando passei a sofrer bullying na escola e a ter dificuldades em fazer amizades por ser uma menina nordestina e gordinha. Foi ali que passei a acreditar que ser como eu era não era suficiente para ser aceita e agradar as pessoas. Passei a dar muita importância à opinião dos outros sobre mim. E é incrível como isso mexe com a gente, pois por mais que a gente cresça, supere e passe a dar menos importância, em termos, a essa aceitação externa, o que passamos lá atrás deixa marcas bem difíceis de apagar. 

Como já era de esperar, eu cresci e até hoje não virei uma mocinha. É claro que deixei de ter as preocupações de quando era criança, tornei-me menos perfeccionista e vaidosa do que já fui um dia... Mas as cobranças internas e externas parece que estão cada vez maiores. E ao mesmo tempo em que elas praticamente me consomem, ainda não parecem ser o bastante para me tirarem da inércia, ou seja, para me fazerem realmente mudar o sentido das minhas ações rumo aos novos hábitos que supostamente me farão mais feliz e realizada, satisfeita comigo mesma. 
Parece que me sinto constantemente culpada, ansiosa para fazer uma série de coisas, que embora pareçam pequenas e simples, quando somadas parecem uma lista interminável de mudanças que preciso fazer. Só que hábitos, por menores que sejam, não são tá fáceis de mudar. E quando "relaxo" um pouco sempre tem alguém para me lembrar que o meu jeito de fazer as coisas não está muito certo. 
 - Não, Ana Carolina, você não pode comer croissants todos os dias, não pode tomar refrigerante, nem gastar tanto dinheiro com comida... Ana Carolina, você devia preparar suas refeições à noite, antes de dormir! Você precisa ter sempre um lanchinho saudável na bolsa, fazer uma feirinha toda semana... É tão simples! Ana Carolina, como vai cozinhar com essa pia cheia de louças acumulada? Tem que ser mais organizada... Que bagunça!  E o vigilantes do peso? Você não está pagando "uma fortuna"? Por que não usa? Ahhh... as roupas não dão em você? Na próxima vez que viermos aqui não quero saber dessa desculpa! Vamos criar vergonha na cara e emagrecer! Menina, você tá passando o filtro solar somente essa hora? Desse jeito vai ficar com a pele toda manchada... e envelhecer rápido... Precisa beber água, melhorar a postura... e a dermatologista disse para sempre hidratar a pele! E os exercícios? Devia aproveitar para fazer pelo menos uma esteira quando Mateus dormisse... Três vezes na semana já seria um bom começo. E musculação também é essencial...Já pensou quando estiver velha, pesada, sem forças para carregar o próprio corpo? Um filho é a motivação para a gente se cuidar e batalhar para melhorar na vida. Você precisa usar melhor o seu dinheiro. Não devia pegar tanto Uber, podia economizar... E já viu quanto plástico vai parar nos oceanos? Você devia separar o lixo e escolher melhor os produtos que consome!  E a fotografia? Tem que correr atrás! Já tem a câmera, fez curso, comprou material, precisa divulgar, fazer contatos... E você faz o que na sua hora livre? Fica no celular! Ah, aí fica difícil, Ana Carolina... Você reclama demais! E só vive cansada! Cansada de que mesmo? 
Pois é... no meio de tantas cobranças eu tenho me sentido cada vez mais sufocada, exausta e frustrada. 
Sabe aquela música do Roberto Carlos que diz: É Preciso Saber Viver ? Pois é, é preciso mesmo! E às vezes é como se eu não soubesse, porque o tempo nunca é suficiente e pareço sempre insatisfeita, mesmo tendo plena consciência de todas as bênçãos que Deus derrama em minha vida. E aí me vem mais culpa, por estar sendo talvez ingrata, o que não é de forma nenhuma minha intenção. Mas como sair desse enorme ciclo vicioso??? 
Resumindo, a única resposta que encontro para isso é: através de pequenas ações todos os dias. Apenas parada e me deixando levar pelos impulsos e pelo meu desânimo diante das dificuldades a situação apenas vai se agravar com o passar do tempo. E a tendência disso é um sentimento de frustração cada vez maior. Insatisfação comigo mesma, que pode levar até a uma depressão. 
Sei que preciso ser menos exigente e mais amável comigo mesma, mas também preciso trabalhar minha força de vontade.
MEDITAÇÃO, AUTOCUIDADO, ORAÇÃO... PACIÊNCIA e COMPREENSÃO.
 RESPEITAR meus momentos também. 
EQUILÍBRIO.
 Essas são palavras/ATITUDES-chave para alcançar o que desejo. 
Sei que as transformações precisam vir de dentro para fora, 
sempre regadas com AMOR. 

Mais alguém se sente em situação semelhante? Sei que todos nós temos nossas crises, nossos dilemas, as cruzes que muitas vezes nós mesmos colocamos ou fazemos pesar sobre nossas costas... às vezes por uma forma talvez equivocada de encarar a vida. Sintam-se à vontade para conversar e comentar. É sempre um prazer quando  há uma troca por aqui. 
Um grande abraço a todos. 




quinta-feira, julho 12, 2018

O velho ciclo da vida

Olá, amigos...
Prometi voltar a blogar e acabei passando mais tempo do que pretendia ausente. Primeiro por um certo bloqueio criativo ou talvez pelo cansaço mesmo... mas isso não é novidade. Depois porque de repente eu e minha família passamos por um momento bem difícil: a perda dos meus avós maternos. E aí vocês podem perguntar: dos dois? E  eu lhes digo: sim... com apenas doze dias de diferença entre a partida de cada um. Como é que foi isso?
Bem, primeiro meu avô Ulysses, de 95 anos, ainda lúcido, foi internado na UTI com um quadro de pneumonia. Assim que ele saiu de casa, minha avó, Carli, com 92 anos, que já estava acamada desde 2014 e apresentava um tipo de demência senil, começou também a apresentar sintomas de pneumonia e poucos dias depois precisou também ser internada na mesma UTI. Os dois ficaram um ao lado do outro, em seus leitos, e até mesmo a equipe do hospital ficou comovida em vê-los assim, juntos, numa situação tão dramática. Parece história de filme, não é? Como em Diário de uma Paixão... impossível não lembrar. 
E foi bem assim, realmente... Foram 60 anos de casados. Um amor tão lindo, uma ligação de almas mesmo. Tão forte que nada os separaria... nem mesmo a morte conseguiu por muito tempo. 
Desde 2014, quando minha avó teve uma trombose e ficou acamada após passar vários dias internada, meu avô passou a ficar cada vez mais deprimido e frágil, debilitado. Enquanto ele parecia acelerar o processo de envelhecimento, ela parecia apenas esperá-lo. Até que os dois chegaram juntos ao fim. 
A vida inteira eu, meus pais e minhas irmãs tivemos pavor só de imaginar como seria o dia em que perderíamos meus avós maternos, que sempre foram nosso cais, nosso porto seguro, nossos anjos da guarda. Também tínhamos
medo do que seria daquele que ficasse quando o outro tivesse que partir dessa vida. Realmente não dava para imaginar um vivendo sem o outro.  Deus foi tão bom que o desenredo da história aconteceu assim... 
Foi triste, foi sofrido ver os dois daquele jeito... 
Mas alivia saber que agora toda dor passou e os dois estão juntos, em paz... E nenhum deles precisou saber da morte do outro. Os dois já se encontraram na vida eterna! Eu acredito nisso!
Ontem estive na casa de meus avós pela primeira vez depois que eles se foram. A mesma casa onde vivi alguns dos momentos mais felizes e doces da minha infância... hoje em dia é bem diferente daqueles tempos... desgastou-se juntamente com seus donos, parece carregar uma energia de dor e tristeza... suas paredes sujas precisando de pintura, sua bela mesa de jantar dobrada, que era para facilitar a passagem da cadeira de rodas de minha avó... um cheiro de mofo, de coisas antigas... Na casa me vêm tantas lembranças... eu, minha irmã e outras crianças dançando na sala ao som da Arca de Noé, de Vinícius; vovô dando uma dançadinha engraçada ao lado do bufê, pegando um pedacinho de bolo de rolo... Tocando piano... O hino nacional e Odeon eram algumas das músicas que ele tocava e a gente mais gostava... E o cheiro do almoço sendo preparado, os bolinhos de carne de vovó... a brincadeira na rede, as conversas na lajota, vovó de bobies no cabelo... seus rituais de beleza, o cheiro do pó da HR, que ela usava, seu cheiro de água fresca... ela se maquiando no espelho da porta do guarda-roupa, que insistia em não ficar parada... Ela costumava abrir a boca enquanto se maquiava, desenhava suas sobrancelhas com o lápis, a parte mais difícil... Quando terminava de se arrumar com todo capricho, íamos sentar nas nossas cadeirinhas na lajota, ou dar um passeio nas "lojinhas"... 
Poderia passar horas aqui falando sobre eles... meus avós foram os melhores avós do mundo! Eles tinham tanto amor! Dois corações enormes! Eu sempre vou me lembrar e vou fazer questão de contar para meu filho, Mateus, como os bisavós dele eram lindos! Dois anjos em nossas vidas! Por eles sempre terei toda gratidão desse mundo! Espero que eles saibam disso e nunca se esqueçam do quanto eu os amo. 

quinta-feira, junho 14, 2018

O Retorno

Oi, pessoal!!! Depois de mais um bocado de tempo ausente, estou voltando a ter vontade de bloggar!!!! 🙌Mas pensando em dar uma organizada por aqui e mudar um pouco a cara desse espaço, já que eu também passei por tantas mudanças nesses últimos tempos.
Enquanto essas mudanças mais estruturais não acontecem, devo voltar a fazer algumas atualizações aos poucos, de conteúdos que eu achar interessante compartilhar com vocês. E são muitas ideias que andam passando por essa cabecinha louca! Rsrs
Pra começar tem o meu trabalho como fotógrafa! Lembram que falei sobre isso no meu último post??? (Tipo.... ano passado?! Kkkkk) Bem, o fato é que de abril para cá comecei a investir mais nisso e a ideia é colocar para frente esse negócio que envolve muitos desafios! Já dei alguns passos importantes que serão assunto para um outro post, mas preciso acelerar esse processo!
Fora isso, estou naquela vibe de estimular a criatividade ao máximo, de buscar isso por todos os caminhos possíveis! Sei que todos falam: escolha um nicho de interesse! Mas eu insisto: pra que um nicho específico se eu me interesso por tantos nichos ao mesmo tempo???    Então vamos mandar um F* -se pra a as regras e ser feliz?? A gente corre atrás e vê no que vai dar!
E são tantas inspirações também para compartilhar!  Tanta gente boa fazendo #tudoaomesmotempoagora e fazendo dar certo!!! Tenho a sensação de que minha realização é por aí também...  nessa trilha cheia de caminhos alternativos, curvas, bifurcações, giradouros, atalhos (??)... mas nunca uma linha reta.


(fotografia do Pinterest)
Mais alguém por aqui sente ou já viveu algo parecido? Essa vontade de fazer muitas coisas diferentes, sentir-se criativo (a), inspirado (a) e de buscar a realização desenvolvendo mais de um projeto ou sobre áreas variadas? 
Ficarei feliz em saber suas experiências nos comentários e trocar figurinhas!
Vamos colocar o papo em dia!
Um abraço daquele (virtual mas apertado!) ,
Carol. 

terça-feira, outubro 24, 2017

Eu fotógrafa

Uma das minhas maiores paixões é  a fotografia. Adoro registrar os momentos, paisagens, os detalhes de tudo que vejo, a forma como vejo... a beleza das coisas mais simples, da natureza, das pessoas... Esse desejo de segurar os instantes, de guardar na memória, de compartilhar minha forma de ver o mundo...  tudo isso veio crescendo de uns anos para cá. 
É certo que vivemos uma época onde a imagem tem cada vez mais força. A tecnologia está mais próxima das pessoas, tem um monte de gente se descobrindo fotógrafo ultimamente... Mas o mais legal é que por mais fotógrafos que existam, cada visão fotográfica é única. 
Eu acho que sempre fui muito exigente comigo mesma. Muito crítica. Eu amo fazer muitas coisas e acredito que tenho talentos bem variados dentro dessa área mais artística. Mas sempre tive dificuldade em me assumir como fotógrafa, ou uma escritora, uma compositora ou uma cantora... fico sempre me escondendo por trás de uma espécie de capa de admiradora, de amadora, talvez para não começar a dar a cara a tapa, não colocar a mão na massa de verdade e correr atrás dos meus objetivos.  Enquanto isso vejo tanta gente que começou às vezes até com uma certa desvantagem em relação a mim, mas que não teve medo e começou a batalhar por seus sonhos e vem conquistando seu lugar ao sol, aprendendo cada vez mais e alcançando reconhecimento. 
Nessas horas sempre me lembro daquela parábola de Jesus sobre o senhor que distribuiu talentos a seus servos, conforme a capacidade de cada um. (Mateus, 25. 14-30) A parábola ensina que Deus nos dá muitas coisas (dons, capacidades, oportunidades...) para multiplicarmos em nossas vidas. Um dos servos do senhor da história se preocupou apenas em conservar o talento que recebeu, enterrando-o, mas não o fez multiplicar. Por isso seu senhor não ficou satisfeito, pois por menor que seja o talento recebido, sempre é possível fazê-lo frutificar.
Sempre tenho medo de estar desperdiçando os dons que Deus me deu. Tenho uma tendência a me comparar às vezes com outras pessoas, muitas vezes já profissionais experientes. Fico achando que meus dons podem ser medíocres perto do dessas pessoas. Mas medíocre é a covardia de não se arriscar, não evoluir, não buscar ter essa experiência, esse aprendizado e chegar lá. A excelência, o sucesso, o reconhecimento não vêm para quem fica de braços cruzados, apenas assistindo quem faz as coisas acontecerem. 
Em 2014 eu fiz o curso de fotografia no SENAC, mas  não comecei a fazer nada com isso porque não tinha uma câmera boa e estava sem condições financeiras de investir... até que este ano meu marido me deu uma câmera de presente de aniversário. Agora não há mais desculpas. Hora de arregaçar as mangas!!!! Meu plano é criar minha marca, fazer um site, cartões de visitas, página no facebook e perfil no instagram para divulgar meus trabalhos. Preciso ainda investir em alguns materiais mas o mais importante já tenho! Em breve apareço para contar as novidades! Torçam por mim!!!
(via pinterest)

domingo, setembro 24, 2017

Comemorando o meu aniversário e o mesversário de Mateus!

Ontem comemoramos o meu aniversário, que foi dia 12, juntamente com os quatro meses de Mateus, que foi no dia 21/09. Escolhi o tema de sol e girassol, já que meu filho é o meu solzinho e o girassol é minha flor preferida!!! 
Para dar um toque especial, encomendei a papelaria personalizada da Papel e Amor e fiquei muito encantada pelo trabalho!!! 
A minha ideia era fazer a festinha em casa, pois adoro festinhas caseiras, no aconchego do lar. Só que não me dei conta que a quantidade de pessoas convidadas não caberia no pequeno espaço da minha sala 😜Depois de Harry, meu marido, insistir muito, eu resolvi admitir que não daria certo e reservei de última hora uma mesa grande no bar Paranóia do Mar, em Boa Viagem. Realmente foi a melhor coisa que fiz! Deu tudo certo e todos ficaram mais à vontade. Mesmo não sendo da forma como imaginava, a mesa ficou muito fofa, graças à papelaria super delicada e linda, com o tema que escolhi!





 Meu solzinho 


Quem quiser ver mais fotos, pode me seguir no insta @carolchiquechique  ;)

Um bjo pra todos e uma ótima semana!!!

quinta-feira, setembro 21, 2017

Hora de arrumar o guarda-roupa!

Estou me preparando para dar uma renovada no guarda-roupa! Não tenho muitas coisas, mas tem muitas peças que não estão em bom estado ou não me vestem bem, ou não combinam mais com meu estilo. Na verdade, estou repensando meu estilo. 
Estava dando uma olhada no pinterest e achei umas dicas legais para organizar o armário e também umas dicas para montar um guarda-roupa cápsula, ou seja, bem enxuto, com peças que se coordenam entre si. Não sei se consigo montar um tão combinadinho, porque gosto de ter umas peças coloridinhas e de estilos diferentes também... Mas vou tentar escolher roupas mais clássicas e coringas em minhas próximas compras. (falou a pessoa que acabou de comprar um maiô com estampa de hibiscos hiper mega colorido! kkkkkkkk) 
Para começar, coisas que tenho me perguntado sempre que olho para minhas roupas:


Ultimamente tenho respondido não para grande parte das peças! :/



Esse diagrama também é bom para quando bate aquela dúvida sobre o que fazer!!!


Se eu tivesse que escolher um guarda-roupa cápsula, acho que esse me cairia bem :)

O problema é adotar um estilo só! Eu gosto dessa linha mais básica, minimalista, com os tons nudes, rosês, românticos... o cinza, azul marinho, o branco... Mas tenho também um lado meio boho, mais hippie, étnico, estampado... Aqueles looks de férias, viagens, praia, sabe?  Com base nisso vou ver se consigo arrumar meu armário amanhã e abrir espaço para o novo! 

quarta-feira, setembro 20, 2017

Look DeMillus: maiô estampado e jeans

Ontem fui para o aniversário de uma amiga minha, numa boleria bem linda chamada Boleria das Marias, na zona norte do Recife. A comemoração foi às 16 horas e por isso consegui ir com Mateus. Aproveitei para estrear o look que comprei no fim de semana através de uma revendedora da DeMillus,. Eu estava precisando me arrumar, colocar uma maquiagem, um salto, encontrar minhas amigas... Por um momento eu quase desisti de ir, porque Mateus não conseguiu dormir direito durante o dia e estava bem enjoadinho na hora de sair. Mas ele acabou se acalmando e se comportou bem direitinho. Chorou no final, porque já tinha passado a hora em que ele geralmente dorme. Mas acabou sendo até bom, porque ele dormiu umas 20:30 e foi até umas sete da manhã, sem acordar no meio da madrugada. 
 Com meu príncipe!
 Com a aniversariante (Mateus já ficando enjoadinho nessa hora...)

Alguns detalhes da Boleria das Marias, no bairro das Graças, em Recife.

Enfim, o look:




Maiô Hibisco, DeMillus
Calça jeans bordada, DeMillus
Sandália Arezzo
                     
Eu não usava roupas tão coloridas há muito tempo! E a lycra me faz lembrar a época em que usava as blusinhas da Tribos , que hoje em dia não fazem muito o meu estilo. Mas me apaixonei pela estampa de hibiscos e a manga ciganinha, com esse babadinho! Ele pode ser usado como blusa e como maiô, é claro. Então, resolvi apostar nessa peça alegre para dar uma levantada no astral!
A calça é maravilhosa! Veste super bem! Ela é jeans com elastano, super confortável, não fica escorregando, não sobra pano na cintura, fica toda justinha sem ser apertada. Adorei! Tanto que já pedi outra, sendo que preta. Não é fácil achar calça jeans que vista tão bem quando se tem um quadril muito largo, pernas grossas... Por isso super indico!
A sandália é de um tipo de palhinha, com os pompons coloridos, que dão um charme especial  e eu adoro! Ganhei de presente de aniversário no ano passado, mas continua super na moda, especialmente na primavera/verão! Desde que engravidei não usava um salto, então, resolvi matar a saudade! Foi engraçada a carinha de Mateus quando entramos no elevador para sair e ele ficou me olhando, impressionado, como se estivesse se perguntando: o que aconteceu com a minha mãe? kkkkkk Ele sempre me vê de cara lavada, de pijama, com roupas de casa... Deve ter estranhado um pouquinho me ver de batom, mais alta e toda colorida! :D Sábado tem mais, porque vou comemorar meu aniversário e o mesversário dele! Espero que fique legal o look pra eu mostrar aqui de novo!
Beijinhos pra vocês!