quinta-feira, maio 08, 2014

Um chapeleiro nada maluco

Quem aí já ouviu falar na história desse rapaz? Seu nome é Durval Sampaio, mais conhecido como Du E-Holic. Em janeiro de 2013 ele deu início a uma viagem pelo Brasil a bordo de um furgão antigo e na companhia de sua máquina de costura. Largou um emprego tradicional e estável em busca de autoconhecimento e realização pessoal. Ser feliz fazendo aquilo que ama. Sua história serve de exemplo para todos e por conta disso, além de seu enorme talento e criatividade, ele tem ficado cada vez mais conhecido em todo o país. Esse reconhecimento é mais do que merecido e o Carolina Chique Chique também vem aqui tirar o seu chapéu! :)

 Com sua máquina de costura, cercado de cores e objetos, a criatividade está em
 toda parte e transborda em suas criações. 

 Com seu furgão de 1952, ele vem cruzando todo o país. Imagina a quantidade de pessoas memoráveis, lugares incríveis, experiências enriquecedoras que ele vem vivenciando? Bom demais, não é?

Os chapéus, é claro, são muito mais do que um acessório para Durval. Provavelmente, você sempre o verá usando um de seus modelos exclusivos. 


Du E-Holic fabrica seus chapéus sem CEP, como os chama, usando os mais diversos materiais. Não há limites para ele. Além de retalhos, usa pequenos objetos e até papelão. 


Há muitos modelos excêntricos e extravagantes, como vocês podem ver, mas também é possível encontrar opções mais discretas. 


Não sei vocês, mas eu adoraria levar um chapéu sem CEP pra casa!  :D
De qualquer forma, mesmo quem não curte muito o estilo ou não é muito acostumado a usar chapéu, é impossível não admirar o espírito empreendedor e, sobretudo, aventureiro, desse chapeleiro nada maluco. Afinal, maluco mesmo é quem não sabe viver. 

Fonte: Hypeness, e-Holic

Nota: Pessoal, não conheço a autoria das fotos. Caso alguém conheça a autoria ou seja o autor de alguma das imagens, favor informar nos comentários para que os devidos créditos sejam dados, ou para que a foto seja retirada, se for o caso. Além disso, vale ressaltar que este post não é um publieditorial

Nenhum comentário: