sábado, novembro 26, 2011

Primeiro dia do Moda Recife - minhas impressões

Pessoal, como eu já havia falado pra vocês, ontem começou o Moda Recife. Foi a primeira vez que participei (digo, que fui) e achei super interessante. A programação atrasou um pouco, o que de certa forma foi a minha sorte, porque peguei até a palestra que antecedia os desfiles, mesmo tendo ido só após o trabalho. O tema da palestra foi: O futuro da moda e a sustentabilidade em Pernambuco. A sustentabilidade, como vocês também já devem ter percebido, é o tema do evento este ano.
Achei realmente bacana a apresentação, já que o tema é super atual, mas provavelmente em função do atraso a palestrante estava meio apressada. Além disso, o pessoal estava fazendo muito barulho, o que é uma coisa bem chata. Afinal, quem não quer assistir a palestra, só quer ver desfile, que fique do lado de fora, não é mesmo?  Atrapalha quem tá falando e quem está tentando ouvir alguma coisa. #prontofalei Fora isso achei bem organizado e fiquei bem feliz. Espero que a cada ano o Moda Recife se torne melhor e maior. (:
 Mas voltando à palestra: foi discutido qual será o desafio da moda pernambucana nos próximos 10 anos. Nós temos que agregar história, tradição e cultura. Mas não é só. A sustentabilidade é um fator essencial. Ressalta-se que não se trata apenas de uma questão de ter criatividade. É importante conhecimento, inovação, qualidade de atendimento e uma preocupação com o meio ambiente e com as pessoas. Também foi comentada a necessidade de não haver tanta competição entre os profissionais de moda da região, mas sim uma integração. Profissionais de moda de todos os segmentos devem procurar se ajudar, formando uma grande cadeia produtiva. Foram também discutidas as necessidades e principais dificuldades da moda pernambucana. A oferta insuficiente e desqualificada de profissionais, a alta informalidade, são fatores, entre outros, que pesam bastante. Para combater essas dificuldades existe um plano estratégico, do qual faz parte a formação de uma parceria entre o poder público e o poder privado, com o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva "têxtil e de confecções de Pernambuco", a qual, na verdade, é bem mais ampla, incluindo não só os trabalhadores das confecções, mas também os fotógrafos, jornalistas, todos que trabalham na área de moda.
Enfim, foi bem interessante. Mas é claro, que a cereja do bolo são os desfiles, né? De fato, é a aquele momento mais esperado! Até porque a gente sabe que muita gente adora moda mas não trabalha com moda. Ontem tivemos os desfiles de: Frederico Ferrera, Yanomami, Magali Marinho, 02 Primas, Romildo Nascimento, Club Noir e Walério Araújo.
Infelizmente não tive como tirar fotos durante o evento e não encontrei quase nenhuma imagem na internet (acho que ainda é cedo...rsrs) Mas mesmo assim vou tecer alguns comentários. :P
O estillista Frederico Ferrera abriu os trabalhos com uma coleção super leve, roupas feitas para um verão com a cara do nordeste. Fibras naturais, cores claras (off white), mesclando com peças de tom laranja e coral. Franjas, transparências, tramas que lembram o artesanato  nordestino.  Tudo embalado por música popular brasileira.
Na Yanomami o que chamou a atenção foram os tons terrosos, estampas étnicas e o laranja e o azul muito presentes também, dando um toque mais vibrante à coleção. Coletes e bolerinhos de renda fizeram parte da maioria das composições. E sempre o visual era acompanhando de maxi-colares feitos com sementes, cascas de coco e outros materiais, tudo bem artesanal.
Em seguida veio a estilista Magali Marinho. O desfile foi dividido em três partes diferentes, com três climas distintos, marcados pelas diferentes trilhas sonoras. Primeiro um clima de rock in roll cinquentinha abriu a coleção, com roupas mais coloridas e um ar mais descontraído. As peças, no entanto, eu não curti muito nessa primeira parte. Minha parte preferida foi a segunda, quando começou a tocar Back to Black e outras músicas de Amy e as modelos começaram a entrar com looks P&B e um ar mais austero, com fascinators sempre com uma espécie de mini-véu sobre o rosto, dando um certo ar de luto. Achei bem interessante e teve uns três modelos que me agradaram demais. Um total black, todo de renda nas costas, estava muito bonito.  Depois veio a terceira parte, onde os looks eram mais de festa, mas também não gostei muito. Talvez minha impressão tenha sido negativa porque os vestidos muitas vezes ficavam grandes, sobrando pano nas modelos... enfim, muitas peças não mostravam um caimento muito legal. Enfim, não curti.
O quarto desfile da noite foi o da marca 2 Primas. Color blocking foi a tendência da vez. A combinação de vermelho, azul royal e verde-limão foi a marca da coleção! Eu gostei bastante. E os acessórios também foram muito bem escolhidos.  Lembram daqueles acessórios da Safh, dos quais falei outro dia? Pois então! Eles apareceram dando um charme a mais aos looks! :) E uma coisa interessante: a 2Primas fez jus à atenção à sustentabilidade e investiu em um tecido novo, o cânhamo, fibra extraída da cannabis sativa - isso mesmo! a maconha! rsrs - que é de baixo impacto ambiental e de alta resistência. Eu tive a oportunidade de tocar o tecido e posso dizer a vocês que ele lembra o algodão, talvez um pouco menos macio, mas também leve e confortável. Parece ser realmente resistente. Eu fotografei alguns looks que estiveram na passarela, através do lookbook da marca.


Esses dois looks acima são feitos com o tecido extraído da maconha.

Em seguida tivemos o desfile do Romildo Nascimento, cuja coleção foi bastante voltada para a moda masculina. No entanto, gostei dos looks de moda feminina que foram apresentados. Ele explorou bastante a combinação de branco e vermelho, peças vazadas.. E nos meninos, bastante xadrez, cortes assimétricos e algumas peças com amarrações feitas com cadarços e tudo bem casual.
O penúltimo desfile da noite foi o da Club Noir. Ao som de música francesa, eles intercalaram peças com estampa liberty com outros looks total black. As peças pretas, como macacões e vestidos, vinham sempre acompanhadas de maxi-colares dourados, dando um ar mais chique. Algumas peças deixaram a desejar no caimento, inclusive um dos vestidos ficava com alça escorregando enquanto a modelo desfilava. A coleção apostou também em peças de um ombro só, clutchs (sempre douradas) e no prata. Minha peça preferida foi um vestido que fechou o desfile. Ele era longo, prata, com decote nadador, um misto de casual e chique, cheio de estilo.
 Desfile de Walério Araújo
E pra fechar a noite com chave de ouro, veio o desfile de Walério Araújo. O estilista, com sua coleção Folclore, conseguiu mesclar tendências atuais com elementos do folclore nordestino, homenageando o bumba meu boi, o maracatu e o frevo. Transparências, paetês, muito branco, mas também muitas cores, a presença de estampas tropicais, franjas... Até mesmo caftans que lembravam os trajes dos nossos caboclos de lança! A mistura de peças super glamourosas com outras esportivas, como num look maravilhoso onde a modelo vestiu uma saia no melhor  estilo melindrosa, toda franjada, com uma camiseta preta bem rock' in roll. Enfim, o estilista pernambucano mostrou um trabalho digno de todos os aplausos!
E hoje tem mais! Pena que não vai dar pra eu ir :( Mas quem puder aparecer, não perca! É dia de Rush (moda praia), Corpo Seguro, Handara, Melk Z-Da e outros. Tenho certeza de que vai ser o máximo! (tenho que dar um jeito de ir!!!!!!! :P)
Bom, fico por aqui. Desculpem o post enoooooooooorrrrrmeeeeee!!!! Sei que muita gente não vai ler, mas hoje eu perdôo. Muito obrigada a quem chegou até aqui! :) Beijinhos!

5 comentários:

debytm disse...

Eu li todo, digo logo! Hehehe... Mas sem fotos a imaginação n ajuda tanto assim! Mas deu p perceber bem as tendências q já vem se mostrando em outros desfiles tb!

Bjs!

debytm disse...

Faz teu cálculo do kin e depois me diz... Há anos atrás tb era mais mística, mas tenho retomado esse meu lado da espiritualidade e estudado um pouco sobre isso tb e tem me feito muito bem e ajudado a me compreender mais! =)

debytm disse...

Seu kin faz parte da minha onda encantada... Mas n me pergunte o q significa, viu?! Hahaha...

debytm disse...

Eu vi toda a onda, mas n soube interpretar muito bem não! Um amigo q estuda o calendário me ajudou em algumas coisas... Hehehe... É complicado demais!

Ana Martins disse...

Gostei do post. Nunca fui em um desfile, mas por falta de oportunidade mesmo. Na verdade, acho exagerado as roupas da passarela. Mas devo dizer que adorei essas peças do cátalogo que vc mostrou, principalmente esses dois vestidinhos azuis. Lindos. Beijos